Páginas

terça-feira, 14 de abril de 2009

ESCOLA CÔNEGO FERNANDO PASSOS REALIZA A 10ª PÁSCOA SOLIDÁRIA

COM A QUALIDADE CÔNEGO

MST ocupa engenho da Votorantim em Pernambuco


O MST informou que cerca de 100 famílias do movimento ocuparam hoje o engenho General, pertencente ao Grupo Votorantim, localizado em São Lourenço da Mata (na Zona da Mata Norte), em Pernambuco.
Em nota, o MST informa que reivindica a desapropriação de três dos sete engenhos que integrariam o complexo da usina Tiúma. Um deles, o Engenho São João, foi desapropriado em 2004 para Reforma Agrária e em 2008, depois de quatro anos de luta, é o Assentamento Chico Mendes.
O MST reivindica a desapropriação de outros engenhos para poder assentar um número maior de famílias. O movimento critica também o cultivo de cana-de-açúcar e a produção de álcool.
A Usina Tiúma foi uma das maiores do estado de Pernambuco e faz parte da história de ocupação das terras da Zona da Mata pela cana-de-açúcar. Com o fim do Pró-Álcool e dos subsídios governamentais a usina, junto com muitas outras da região, entrou em processo de falência. Em 2004, quando foi ocupada pela primeira vez, estava abandonada há 17 anos, falida e com dividas com a Previdência Social. Mas com a revalorização da cana-de-açúcar para produção de etanol e a entrada de novos subsídios governamentais, o Grupo Votarantim voltou a ter interesse na área.

Fonte: Blog do Guto Brandão

Emissora interrompe missa do Papa com propaganda de filmes eróticos


Uma falha técnica da emissora Comcast, nos Estados Unidos, fez com que uma missa rezada pelo Papa Bento XVI fosse interrompida por uma propaganda de vídeos eróticos.

Segundo o site de notícias "Philly.com", a missa era transmitida às 2h da última sexta-feira (10), quando uma propaganda de 30 segundos foi ao ar, exibindo DVDs pornográficos.

Jeff Alexander, porta-voz da Comcast, disse que o acidente foi causado por uma falha no sistema de informações emergenciais da emissora. O correto seria que o canal "de emergência" interrompesse a programação com alguma mensagem de testes, mas o conteúdo acabou sendo trocado pela propaganda dos filmes.

Fonte: g1.com

Farmácias de Pernambuco ainda não vendem medicamentos fracionados



O que fazer quando um médico passa uma receita e manda você tomar sete comprimidos durante uma semana, mas, na farmácia, a embalagem do medicamento só é vendida com dez comprimidos? Por que nem todas as farmácias vendem o remédio fracionado? A funcionária pública Dilma Guerra se fez essas perguntas depois que contraiu uma virose e o médico receitou que tomasse, durante uma semana, um comprimido por dia. “Quando cheguei à farmácia, só tinha caixa com dez comprimidos e tive que comprar”, conta. “Me informaram que lá não tem venda fracionada”. A venda fracionada de remédios já está regulamentada no Brasil há três anos. O decreto federal é de maio de 2006, mas ainda está longe de ser cumprido. De acordo com o gerente geral da Agência Pernambucana de Vigilância Sanitária (Apevisa), Jaime Brito, nenhuma das três mil farmácias do estado segue os requisitos determinados pela lei. “Identificamos problemas como as condições de higiene e a falta de uma bancada exclusiva para o fracionamento”, disse. “Além disso, deve haver um farmacêutico durante todo o horário de funcionamento do estabelecimento, porque somente esse profissional pode fracionar o medicamento”. O presidente do Sindicato das Farmácias de Pernambuco afirma que não é apenas aqui no Estado, mas em todo o Brasil, que a lei não é cumprida. Para ele, isso está ocorrendo, principalmente, por dois motivos: os laboratórios não produzem os remédios fracionados e as farmácias teriam que fazer um investimento muito alto para se enquadrar no que determina o decreto federal. “A primeira dificuldade é que não tem farmacêuticos suficientes em Pernambuco para todas essas farmácias, a outra é que os custos com a burocracia e com as adaptações necessárias para fazer o fracionamento dos remédios é muito grande”, afirmou. Com uma câmera escondida, a equipe do Bom Dia Pernambuco flagrou a venda fracionada de medicamentos fora dos padrões determinados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Em uma Farmácia do Trabalhador do bairro da Iputinga, no Recife, o balconista usou uma tesoura para cortar a cartela do antibiótico amoxilina. Em outra farmácia do bairro de Maranguape, em Paulista, mais irregularidade. Veja o que afirma o balconista: - Pela quantidade, né? Se não for assim a gente não vende. Eu tenho 40 anos nessa desgraça... Se a Vigilância Ssanitária encontrar medicamentos abertos, ela leva. A gente vendendo solto, vende muito, mas se for a caixa não sai nada. Essa caixa ninguém compra, quem vai comprar? A reportagem voltou depois às duas farmácias e os mesmos homens negaram que vendiam, irregularmente, medicamentos fracionados. O gerente da Apevisa, Jaime Brito, diz que os balconistas podem ser multados. “Eles estão cometendo uma infração sanitária prevista por lei”, explica. “A penalidade pode ser desde uma advertência até a interdição do estabelecimento e uma multa, dependendo do dano que ele possa ter causado à saúde de um paciente”. AUTOMEDICAÇÃO Outra questão importante é a venda de medicamentos sem prescrição médica. De acordo com a médica Márcia Jaqueline Sampaio, cerca de 50% das vendas dos medicamentos que não precisam de receita são casos de automedicação. “O uso de antibióticos em dose e tempo inadequados causa uma resistência bacteriana, ou seja, mas bactérias se tornam mais fortes e quando houver uma nova infecção, vai necessitar um internamento e o uso de antibióticos mais agressivos e caros”, explica. “É um ciclo vicioso. Além disso, o uso de certos medicamentos pode provocar hemorragia, alergias e até intoxicação em crianças por causa de uma dose inadequada”. Ela lembra que as pessoas devem ir primeiro a um médico e depois à farmácia, onde devem exigir que o balconista venda exatamente o que o médico prescreveu na receita.

Fonte: pe360graus

Feira de Caruaru sofre com os efeitos da crise econômica mundial


A letra da música imortalizada por Luiz Gonzaga diz que de tudo que há no mundo tem na Feira de Caruaru. Mas no maior centro de comércio popular da América Latina, além da diversos produtos, há ainda muitos comerciantes reclamando da crise econômica mundial. Eles esperam tempo bom durante a festa de São João para que aumente o movimento nas vendas, que estão fracas desde o mês de janeiro deste ano.
Para Genildo Francisco de Moura (foto), 49 anos, há oito anos negociando roupas na feira, a queda nas vendas é a pior que já viu. “Desde quando a crise chegou do estrangeiro, as vendas estão ruins. É a primeira vez que vejo assim, tão ruim”, disse Genildo, que montou a barraca em frente à de propriedade de sua mãe. Em 2010, ela vai completar 40 anos de trabalho na feira, onde comercializa roupas de crianças.
“As pessoas olham, perguntam o preço e não compram. Se elas não compram, como é que a gente pode viajar para o Paraguai para comprar mais mercadorias? As pessoas estão adiando ao máximo as viagens”, comentou Genildo.
Os que vendem mercadorias importadas deixaram de viajar ao Paraguai e passaram a comprar de cooperativas de compras das regiões Sul e Sudeste. “Tem cooperativa de compradores em São Paulo. É uma associação que compra um volume grande de mercadoria. Conseguimos um preço bem acessível, mesmo comprando um volume menor. É uma alternativa. O preço não é menor do que o que a gente encontra no Paraguai, mas compensa não ter a despesa de viajar.", disse Genildo.
Quem não trabalha com produtos importadores está sentindo mais os efeitos da crise. Esse é o caso, por exemplo, de Severino Cecílio, que vende mosquiteiros na Avenida Central, um dos pontos mais cobiçados da Feira de Caruaru. Segundo ele, as vendas estão fracas desde o início do ano, o que o deixa cada vez mais desanimado.
Severino está disposto, até mesmo, a parar de trabalhar na feira. Há três meses, resolveu vender o seu ponto. Começou pedindo R$ 37 mil pela pequena loja e depois baixou para R$ 35 mil. Até agora, porém, a única proposta que recebeu foi de R$ 25 mil – R$ 10 mil a menos do que pretende. “Se o comércio estivesse bom, dava para vender até R$ 2 mil por dia. Agora, não consigo vender R$ 600 em três dias”, reclamou.

Fonte: pe360graus

Tratamento com células-tronco no ovário pode adiar menopausa

As mulheres podem um dia adiar a menopausa. Um estudo chinês sugere que é possível prolongar a vida útil dos ovários a partir do implante de células-tronco, gerando óvulos maduros, como mostra matéria publicada nesta terça no jornal O Globo.

O resultado de uma experiência com camundongos abre caminho para tratar algumas formas de infertilidade feminina. A esperança é que transplantes de células-tronco retiradas de ovários possam estimular a produção de oócitos (os precursores dos óvulos) em mulheres inférteis.

Até recentemente a biologia aceitava o conceito de que os mamíferos do sexo feminino nascem com o estoque limitado de óvulos. Nos humanos, o número é de cerca de 400 mil na puberdade, e na menopausa ele cai drasticamente.

Agora chineses mostraram que é possível isolar células-tronco a partir de ovários imaturos e maduros de camundongos, armazená-las em laboratório e transplantá-las em fêmeas estéreis.

No estudo, os cientistas isolaram células-tronco que dão origem aos oócitos em fêmeas com cinco dias de vida e adultos. As células foram cultivadas durante meses e transplantadas em ovários de fêmeas inférteis. E 80% delas procriaram normalmente com fecundação natural.

Da Agência O Globo

Casal vai pagar US$ 57 mil depois de passar 30 anos brigando

A Justiça canadense condenou um casal a pagar 57.000 dólares em perdas e danos a seus vizinhos por ter tentado em várias oportunidades derrubar sua garagem por achar que a construção, de 1978, invadia a sua propriedade.

Ahti e Maija Blick, moradores de Sudbury (Ontário), foram considerados culpados por destruir sistematicamente a garagem de Lucien e Jacqueline Desjardins, informou nesta segunda-feira o jornal Globe and Mail.

Convencido de que a garagem de seus vizinhos foi construída em parte dentro de seu terreno, Blick cavou valas profundas em torno da residência e encheu de água, provocando inclinação do solo.

Blick também foi considerado culpado por ter arranhado a carroceria do carro e de ter destruído o estepe do trailer dos vizinhos, além de colocar uma tábua com pregos de 12 centímetros na saída da garagem.

Cansados dos ataques dos vizinhos, o casal Desjardins colocou sua casa à venda três meses, mas foi em vão: a briga era de conhecimento público e afastava os potenciais compradores.

Da AFP Paris

Polícia desarticula quadrilha especializada em sonegação fiscal

Acontece na manhã desta terça-feira (14) uma operação conjunta das Polícias Civil e Militar para desarticular uma quadrilha acusada de praticar sonegação fiscal. Sete pessoas foram presas até as 7h40, em Timbaúba, Zona da Mata de Pernambuco.

O grupo vinha sendo investigado há oito meses. Os suspeitos estão sendo levados agora para o Grupo de Operações Especiais (GOE), no Recife.

Fonte: JC online

PRF faz maior apreensão de crack no Estado


A Polícia Rodoviária Federal (PRF) fez no final da tarde de segunda-feira (13), em Serra Talhada, Sertão do Estado, a maior apreensão de crack no Estado. O motorista de um Celta com placa de Sergipe, que não teve o nome divulgado, estava com 25 quilos da droga.

O carro se envolveu em um acidente de trânsito no km 426,5 da BR-232. O motorista do outro veículo envolvido, ligou imediatamente para o posto da PRF do município pois percebeu um comportamento estranho por parte do motorista do Celta. Ao perceber a aproximação de uma viatura da PRF, o traficante fugiu pela caatinga.

Os agentes da PRF revistaram o carro e encontraram de 23 pacotes da droga dentro de balões de festa. Segundo levantamento feito com base nos vestígios encontrados no veículo, os policiais constataram que a droga provavelmente foi embarcada no Estado de Sergipe e seguiria até a cidade de Teresina, no Piauí.

O material foi encaminhado à Delegacia de Polícia Civil da cidade.

Fonte: JC online

Estado de SP é condenado a indenizar gay por agressão

A Justiça condenou o Estado de São Paulo a indenizar um homossexual que perdeu o rim direito após ser agredido nas imediações da Praça da República, no centro da capital paulista, por oito skinheads. O ataque ocorreu em dezembro de 2006. "Essa situação ultrapassa os limites de um mero dissabor. Essa dor sentida e doida de forma constante deve ser ressarcida", afirmou o juiz da 5ª Vara da Fazenda Publica, Marcos de Lima Porta.

A decisão foi tomada em 9 de janeiro deste ano e tornada pública pela Defensoria Pública hoje. O magistrado determinou que a vítima receba R$ 190 mil por danos morais e pensão vitalícia mensal de R$ 418, em razão de ter tido sua capacidade de trabalho reduzida, além do ressarcimento dos gastos com tratamento médico e transporte. Os valores são equivalentes ao salário mínimo de 2007, quando a ação foi ajuizada.

A defensora Vania Agnelli alegou que a administração pública tem obrigação de tomar "todas as medidas para assegurar a proteção da população". Segundo ela, outros homossexuais já haviam sido agredidos no mesmo local e que, no dia do ataque a vítima, não havia nenhuma viatura da polícia naquele ponto. A defensora recorreu da decisão em 23 de fevereiro por discordar dos valores.

Fonte: AE